Luz & Cena
LOGIN e-mail
senha
esqueceu sua senha? Clique aqui para se
cadastrar na M&T As novidades da L&C em seu computador
gravar senha

Edição #151
fevereiro de 2012
Índice da Edição 151
Holofote
Direção de Fotografia
Destaque
Galeria
Operalção de Vídeo
Final Cut

Cadastre seu e-mail e
receba nossa Newsletter
As novidades da L&C em seu computador
vídeo: A Banda Mais 3D da Cidade
Após o sucesso de Oração, A Banda Mais Bonita da Cidade lança vídeo que explora a tecnologia tridimensional de um smartphone e a criatividade no seu m
por Fernando Barros 19/02/2012
foto: Romulo Carvalho
 
A Banda Mais Bonita da Cidade, conhecida nacionalmente pelo clipe Oração (o conjunto letra, melodia e conceito visual "neo bicho-grilo em plano-sequência" foram responsáveis por fazer do trabalho um megassucesso na internet), inova mais uma vez. E o motivo é mais um vídeo fora do comum. Gravado em Curitiba, o primeiro videoclipe 3D do Brasil feito por um celular é resultado da parceria da Banda com a LG Electronics.

O videoclipe da música A Balada da Contramão foi capturado em quatro aparelhos LG Optimus 3D, que dispensa o uso de óculos especiais para a visualização, e serve como uma ferramenta promocional para ambas as partes envolvidas. Questões comerciais à parte, esta produção demonstra o avanço da tecnologia e do mundo digital como um todo. Se por um lado temos um grupo de músicos independentes que encontra a sua ascensão nacional no YouTube, por outro vemos os smartphones com recursos cada vez mais avançados e ao alcance de todos.

MOVIMENTOS ELEGANTES

Em seu primeiro trabalho com a Banda, o diretor de cinema Bruno de Oliveira confessa que já estava familiarizado com os hits popularizados durante todo o ano de 2011. "Para mim foi bem tranquilo rodar esse videoclipe, pois eu já conhecia várias das composições que a banda executa em seus shows e boa parte dos músicos da mesma antes dela existir. Também tinha contato com os profissionais que trabalharam na gravação dos outros clipes deles, que já haviam trabalho comigo em filmes. Isso facilitou minha adaptação ao estilo da banda".

O curitibano conta que entrou na produção faltando poucos dias para a filmagem, e por este motivo todo o conceito do clipe já estava traçado. "Segue um pouco a linha dos clipes anteriores. São várias câmeras registrando as gravações das músicas, gerando no final um registro intimista desses momentos de making of. O que eu e o Rosano Mauro Jr., diretor de fotografia, procuramos foi acrescentar uma decupagem mais planejada e movimentos de câmera mais elegantes", revela.

Ele afirma que a questão do uso de smartphones para a captação não o preocupou. "Me concentro mais nos atores - nesse caso, os músicos - e no ritmo do filme ou clipe. Deixo as questões técnicas para o diretor de fotografia, meu braço direito na concepção da imagem. Não me recordo de nenhuma dificuldade de enquadramento ou qualidade de imagem. O aparelho que utilizamos surpreendeu positivamente. Nunca havia filmado com celular, mas não tenho nenhuma queixa nesse sentido".

Para Bruno, o principal objetivo desta produção foi utilizar ao máximo o efeito de três dimensões. "Essa era uma das nossas prioridades, além de fazer um videoclipe bacana. Tínhamos que demonstrar, de uma forma simples, tudo o que o aparelho poderia fazer. Arte, fotografia e direção foram todos pensados nesse sentido", explica o diretor.


ENTRETÍTULO: VOCAÇÃO AUDIOVISUAL

O paulistano Vinícius Nisi, além de tecladista da Banda desde 2009, é frequentemente o idealizador dos vídeos promocionais. "Eu, junto com Uyara Torrente, vocalista, tivemos a ideia e montamos a banda em janeiro daquele ano. A gente sempre se preocupou muito em registrar e usar o vídeo como meio de divulgação de nosso trabalho. Antes do estouro por conta da repercussão de Oração, já tínhamos vários outros vídeos na internet, inclusive alguns gravados no mesmo fim de semana em que fizemos Oração, como Canção Pra Não Voltar e Boa Pessoa. Achamos muito importante realizar esses materiais, pois é algo que nos satisfaz como músicos, como artistas. E o mais importante é que aquilo fica disponível e eternizado para quem se interessa pelo nosso trabalho".

Mesmo sendo indicado como um dos cabeças da produção audiovisual da banda, Nisi faz questão de reconhecer o trabalho de equipe. "Por eu ter trabalhado bastante com vídeo, como editor de áudio para publicidade e cinema, tenho um gosto e uma paixão pela área. Isso acaba influenciando no meu interesse e na idealização dos vídeos, mas seria injusto dizer que eu sou o responsável. Toda a banda se envolve", afirma.


Ele destaca que Uyara é atriz e que sempre contribui com ideias, assim como os outros integrantes que já possuem certa bagagem nesta área. "Sem contar os amigos câmeras, fotógrafos, produtores. Todo mundo tem a liberdade de opinar, já que não existe no nosso trabalho uma hierarquia rígida, como eu costumo ver em produções profissionais".

A Banda não mantém uma relação direta com nenhuma produtora específica. "Costumamos fazer as coisas por conta própria. Eu, particularmente, gosto de trabalhar na guerrilha (risos). Mas temos amizade com várias produtoras de vídeo que sempre nos ajudam com empréstimos de equipamento, em consultorias etc.", afirma Vinicius, acrescentando que relações que vão além da profissional tendem a somar bastante aos resultados.

Ele conta que a produção do clipe anterior, Oração, foi bem leve. "Eu e Uyara comentamos a ideia do vídeo com os amigos, e a partir daí conseguimos a locação, que é da família de uma das meninas que aparece. Os fotógrafos já se prontificaram a participar e os amigos músicos também conversaram entre si para combinar a logística. Tudo foi se encaminhando naturalmente, por vontade de fazer. Chegando lá em Rio Negro, Paraná, não foi diferente: os grupos de músicos já foram combinando como seria o arranjo, quem ficaria aonde, como faríamos a gravação de áudio e vídeo", recorda Nisi, que complementa dizendo que apesar de aparecer como diretor do vídeo, esta função ficou em segundo plano, pois quem tomou as rédeas da situação foi a espontaneidade e o talento de todos os envolvidos.

DO PLANO SEQUÊNCIA AO 3D

Depois de produzir um clipe de aparência simples, todo em plano-sequência, a banda resolveu dar logo um salto, aterrisando justamente no moderno universo da terceira dimensão. "Escolhemos fazer pelo desafio de trabalhar com algo novo para a gente. Nunca tínhamos usado equipamento de gravação em 3D e nunca havíamos trabalhado junto com nenhuma empresa. Pensamos: ok, fazer um plano-sequência até que foi fácil. Que tal agora trabalhar com pessoas novas e um equipamento inédito no Brasil?", conta Vinícius Nisi.

A iniciativa foi da empresa LG, atuante também na área de telefonia celular. "A LG nos procurou para mostrar o aparelho e perguntaram se teríamos interesse em gravar um clipe usando a tecnologia deles. Caso tivéssemos, seria o primeiro clipe 3D filmado por um celular no Brasil. Eu me senti honrado".

Depois de uma reunião com o pessoal da fabricante, a banda percebeu a afinidade e toparam o projeto, que deveria ser executado rapidamente para coincidir com o lançamento oficial do aparelho. "Teríamos que bolar tudo: escolher locação, música, gravar, editar, finalizar. Isso é a forma que a gente sempre fez, mas agora trabalhando para um cliente e usando tecnologias e equipamentos com os quais nunca havíamos trabalhado".


A escolha do smartphone como plataforma foi o pré-requisito da LG para a parceira: o aparelho de gravação teria que ser o celular Optimus 3D. "Fiquei apreensivo antes de conhecer o smartphone, mas depois de testar algumas funções percebi que não teríamos problema. Não pensamos em usar outro tipo de câmera, pois essa foi a regra básica do jogo e que o tornou mais divertido. Trabalhar com um equipamento que você guarda no bolso na hora de ir almoçar é bem diferente do que estávamos acostumados".

TRAQUITANA

A direção de fotografia ficou por conta de Rosano Mauro Jr., que já trabalhou nos curtas-metragens Bolhas de Sabão Desmancham no Ar, na videoarte Suportar o Tédio e no clipe Enquanto Eu Não, de Leo Fressato, além de anteriormente com a Banda Mais Bonita da Cidade no famoso Oração. Sua equipe para A Balada da Contramão contou com Luiz Henrique Leocadio como assistente de câmera e Ícaro Calafange na elétrica e maquinaria, fora Vinicius Nisi, que acumulou os postos de logger, roteirista e editor do clipe.

Rosano revela que não estava familiarizado com formas de captação alternativas às câmeras tradicionais. "Não estava acostumado, principalmente dessa forma, com uma produção em volta de um aparelho celular. Tenho feito muitos trabalhos com câmera SLR, que é uma alternativa real para a realização de filmes que barateia a produção e dá um look mais cinematográfico do que o obtido a partir das camcorders tradicionais", explica o diretor.

Foram disponibilizados alguns aparelhos do mesmo modelo Optimus 3D apenas para casos de emergência e carregamento de bateria. "Não rodamos simultaneamente e também não foram usadas câmeras adicionais. Tudo foi gravado direto no celular. O Optimus 3D permite a visualização sem óculos no próprio aparelho, que é muito superior à visualização do arquivo no YouTube".


Rosano afirma que trabalhar com smartphones foi uma experiência notável. "No início do projeto, estava preocupado quanto à operação do aparelho. Não queria segurá-lo na mão pelo fato do celular ser bem leve se comparado a uma camcorder. Então, junto com o diretor Bruno de Oliveira, armei uma traquitana em uma locadora chamada Local".

A traquitana foi construída utilizando elementos como garra local e manoplas para obter mais estabilidade. "Eu segurava o aparelho como se tivesse segurando um volante", explica.

Quanto a outros aspectos da fotografia, o smartphone já impunha alguns parâmetros como ISO, shutter e, no modo 3D, a ausência da função zoom. Para o controle de luz, a câmera do celular possui um parâmetro comum nas câmeras compactas, chamado EV (do inglês Exposure Value, ou Valor de Exposição).

"Juntamente com a diretora de arte Débora Vecchi, tivemos o cuidado de sempre ter elementos em várias distâncias para compor o quadro e ajudar no efeito do 3D. O clipe foi feito basicamente com a câmera na mão, exceto por algumas cenas em que optamos pelo recurso do trilho", completa o diretor de fotografia, destacando que câmera gera um arquivo de formato MP4 a 720p. "Sem muito contraste, bem comprimido, mas com boa resolução".

Após a gravação nos smartphones, o material foi montado e editado por Vinícius Nisi no programa Sony Vegas 10. "Foi bem tranquilo o processamento das imagens. Inclusive, os trabalhos audiovisuais d'A Banda Mais Bonita da Cidade são sempre editados neste software".

SUAVIDADE

No clipe, Rosano Mauro Jr. procurou obter uma luz o mais uniforme possível. "Isso por conta das limitações, além de querer experimentar diferentes temperaturas de acordo com a paleta de cor das cenas". Para tal, ele utilizou um refletor Arri 650W e um Kino Flo artesanal de duas lâmpadas. "E como era um cenário com diversos lustres, dimmerizei muitos deles e trocamos algumas lâmpadas para controlar a temperatura. Com os lustres eu iluminava a cena, o Kino era uma luz de apoio e o 650W era colocado para desenhar uns contraluzes na vocalista".

Em uma cena específica, Rosano conta ter tido dificuldade por conta de uma configuração automática da câmera. "Como smartphone corrige automaticamente a exposição quando há uma grande disparidade de luz, eu tive trabalho para fazer a cena em que ocorre um travel out. As luzes vão se apagando e só sobra a banda no fundo".


Para ele, o maior prêmio foi ter conseguido passar com sucesso por uma experiência de produzir um material em 3D mesmo com as limitações de um smartphone. "Na iluminação eu tive que ter um cuidado maior, pois não são muito suaves as transições das altas-luzes às sombras. Por terem recursos automatizados, os aparelhos realmente não permitem a configuração manual de muitos parâmetros. Isso dificulta quando o fotógrafo quer que a luz se movimente durante a cena. Mas ficamos muito satisfeitos com o resultado", encerra.

LG Optimus 3D

Conhecendo mais sobre o aparelho

O smartphone LG Optimus 3D, lançado juntamente com o novo clipe da Banda Mais Bonita da Cidade, A Balada da Contramão, é capaz de gravar, converter, exibir e compartilhar conteúdos em duas ou três dimensões sem a necessidade de uso de óculos especiais para visualização.

O equipamento conta com uma câmera de lentes duplas de cinco megapixels, flash e uma tela de visualização de 4,3 polegadas e vem equipado com uma plataforma de processamento chamada Tri-Dual, que inclui Dual Core de 1 GHz, Dual Channel e Dual Memory de 512 MB RAM. Com isso, a promessa da fabricante é uma melhora significativa de desempenho, principalmente em aplicativos gráficos rodando no sistema operacional Android 2.2.


Algumas dicas e orientações da LG devem ser observadas para melhorar a qualidade do material capturado. Por exemplo, no que diz respeito à distância do objeto da foto, foi observado que nas melhores imagens o ponto focal está a uma distância de um a três metros da câmera. Desse modo, conclui-se que é necessário estar próximo.

Outro ponto: as imagens em três dimensões ficam muito mais interessantes quando existem várias camadas de objetos em planos diferentes, dando a ideia de profundidade. E falando em realismo, não se pode esquecer de manter o objetivo da imagem dentro do enquadramento para não criar efeitos indesejáveis, como "cintura cortada".

Por fim, é necessário lembrar que o Optimus 3D é um aparelho leve e cheio de correções automáticas, como foco e luminosidade. Vale a pena manter a câmera imóvel ou fazer movimentos suaves, sem grande variação de luz.
Versão para impressão de
“ Edição #151:  vídeo” Envie este artigo
para um amigo

 ARTIGOS RELACIONADOS - VÍDEO
Natural como o amor (Edição #153 - 18/04/2012)
Faça-se a luz! (Edição #162 - 20/01/2013)
A turnê mundial de Fabrício Peçanha (Edição #162 - 20/01/2013)
Luz & Cena © Copyright 2000 / 2022 - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
Est. Jacarepaguá, 7655 salas 704/705 - Rio de Janeiro - RJ CEP: 22753-900 - Telefone: 21 2436-1825