Luz & Cena
LOGIN e-mail
senha
esqueceu sua senha? Clique aqui para se
cadastrar na M&T As novidades da L&C em seu computador
gravar senha

Edição #154
maio de 2012
Índice da Edição 154
Destaque
Galeria
Iluminando
Final Cut
Produtos
Em Foco
Editorial

Cadastre seu e-mail e
receba nossa Newsletter
As novidades da L&C em seu computador
Holofote: Leonardo Detomi
por Bruno Bauzer 15/05/2012
foto: Divulgação
Leonardo Detomi se define como um profissional estudioso que se dedica para poder fazer o melhor. Com passagens por Tihuana, Maskavo, Strike e Hevo 84, hoje ele é o responsável pela luz das bandas Charlie Brown Jr. e Fresno. "Uma coisa que me dá conforto no trabalho, principalmente em festivais, é saber mexer nas mais variadas mesas. Isso te dá segurança na hora de executar um show. Sempre fui curioso, de perguntar o que não sabia e procurar coisas novas que aparecem no mercado, e, claro, respeitoso com meus companheiros de trabalho. Isso é regra básica nesse meio", declara Leo.

Simpson, como também é conhecido, começou a trabalhar na área sem querer. Foi em Piracicaba, São Paulo, mais precisamente na empresa Stick, com luz e som. "Precisava de trabalho e um amigo me disse que seu irmão trabalhava numa empresa de som e luz, e que, de repente, eu poderia fazer um teste lá para ver se arrumava algo. Não só arrumei como lá encontrei o Rodrigo Monteiro, o famoso 'Bola', que me ensinou a trabalhar com iluminação. Dali segui meus passos", recorda.

Para Leo, seu primeiro trabalho importante foi sua primeira turnê com uma banda maior. No caso, o Tihuana. Segundo o iluminador, foi nela em que realmente começou a se firmar no mercado e a mostrar que sabia fazer uma luz mais agressiva, mas rica em detalhes. "Depois, já mais tranqüilo e com mais experiência na profissão, eu e Olair Paulino montamos uma parceria em projetos voltados para gravações de DVDs menores, sem nenhuma pretensão de bater de frente com os grandes iluminadores já no mercado há algum tempo. Então, começamos a fazer projetos, executar e operar", destaca Detomi, que entre seus trabalhos importantes cita os DVDs da dupla Fabio & Fernando ao vivo em Cuiabá e de João Neto & Frederico ao vivo em Goiânia.

No entanto, o último DVD no qual trabalhou Música Popular Caiçara, do Charlie Brown Jr., é, para ele, também o mais importante, "Nele, fiz sozinho fotografia, projeto e operação, sendo que consegui realizar um trabalho de imagem com um parceiro de longa data, que é o Anderson Neves. Trabalhamos muito com imagens captadas na estradas e logos da banda. Ficou bem interessante!"

Atualmente, Leo vem se dedicando aos shows de lançamento do material da banda santista. E afirma estar começando a se dedicar bastante à parte de vídeos e imagens, recursos que até pouco tempo não recebiam muita atenção de sua parte. "Tenho uma turnê inteira pela frente. Certamente será meu melhor trabalho na estrada", encerra.

Metodologia de trabalho: É preciso conhecer a fundo o que vai ser realizado. Se é um show, é fundamental conhecer o repertório como um fã e se inteirar dos detalhes das músicas, seus andamentos, identificando onde faz a diferença uma boa luz.

Principais influências: Lino Pereira (Jota Quest), Álvaro Oliveira (Titãs), Paulo Roda (Raimundos), Marcos Olivio (Spectrun, Paralamas, Thiaguinho), Cunha (Pitty), Guilhermo Herrero (Bruno e Marrone) e Denny Nolan (The Police)

Projeto especial que já realizou: O DVD Música Popular Caiçara, Charlie Brown Jr. Sai esse mês e já estamos fazendo seu lançamento nas capitais brasileiras.

A melhor luz é aquela que: Conta a história do que está se passando no palco com sincronia, combinação e detalhes.

Em um projeto de luz, não pode faltar: Bom gosto e bom senso, principalmente onde o mercado é tão irregular, como o interior do país. É preciso apresentar sempre um diferencial pessoal, mesmo que nele o profissional use equipamentos mais antigos, convencionais ou recém-lançados.

O melhor e o pior da profissão: O melhor da profissão é o reconhecimento e poder olhar pra trás e ver que valeu a pena toda a luta e insistência numa profissão cheia de altos e baixos. O pior dela são as noites sem dormir, perder alguns momentos com a família e a falta de um sindicato que lute por essa profissão.

Sonho de consumo profissional: Uma mesa e equipamentos iguais, bons e sem problemas em todos os shows, para poder fazer um trabalho tranquilo e objetivo. Mas, falando sério, quem sabe mais pra frente comprar uma mesa de luz só minha (risos).

Planos para o futuro: Continuar fazendo bons trabalhos na estrada e mapas que funcionem e tenham diferenciais. Quero também seguir tendo prazer em fazer luz, pois quando isso não existir mais é porque está na hora de parar.

Dica para quem começa: Sempre ouça quem está há mais tempo na estrada e estude sua profissão, mesas, programas, tudo o que puder. Se você não estiver preparado quando aparecer a oportunidade, perderá a chance de dar um grande passo. E algumas oportunidades não voltam mais.
Versão para impressão de
“ Edição #154:  Holofote” Envie este artigo
para um amigo

 ARTIGOS RELACIONADOS - HOLOFOTE
Glaucio Ayala (Edição #148 - 21/11/2011)
Vinicius Feio (Edição #130 - 12/05/2010)
Ricardo Oliveira (Edição #91 - 24/02/2007)
Dóris Rollemberg (Edição #133 - 12/08/2010)
Paulo Denizot (Edição #134 - 28/09/2010)
Luz & Cena © Copyright 2000 / 2017 - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
Est. Jacarepaguá, 7655 salas 704/705 - Rio de Janeiro - RJ CEP: 22753-900 - Telefone: 21 2436-1825