Luz & Cena
LOGIN e-mail
senha
esqueceu sua senha? Clique aqui para se
cadastrar na M&T As novidades da L&C em seu computador
gravar senha

Edição #162
janeiro de 2013
Índice da Edição 162
Direção de Fotografia
Vídeo Mapping
Final Cut
Publicidade
Galeria
Holofote
Iluminando
Capa

Cadastre seu e-mail e
receba nossa Newsletter
As novidades da L&C em seu computador
Holofote: Ivan Moura
por Louise Palma 20/01/2013

Sandy e Júnior, Fábio Jr, Leandro e Leonardo, Banda Calypso, Leonardo, Maurício Manieri, Gusttavo Lima: são muitos os nomes de peso no currículo de Ivan Moura, lighting designer e diretor de fotografia da agência Hit Music, que bem cedo deu início à sua carreira. Ainda criança, ele se encantou pela dança das luzes em uma discoteca em Santo André, onde o pai, Ivo Moura, trabalhava. Sob a supervisão de Lucio Canô, operador de luz da Sunshine, ele teve o primeiro contato com o equipamento em 1989. "Eu ficava fascinado com o ritmo que ele aplicava na iluminação e, aos poucos, ele foi me ensinando como fazer. Em pouco tempo eu era iluminador de outras casas noturnas da Sunshine."

Ao se desligar da empresa, no ano seguinte, Ivo abriu a Prisma Eventos, voltada para a projeção e a transmissão simultânea para shows e eventos. Indo contra a tendência do mercado na época, focada nos moving lights Golden Scan II, da Clay Pack, a empresa investiu em outro tipo de equipamento. "Ninguém dava muita importância aos intellabeans, e havia poucas unidades deles no Brasil." A aquisição de quatro destes aparelhos chamou a atenção de alguns artistas, e logo a empresa fechou uma turnê com a cantora Daniela Mercury. Era 1994. "Eu, moleque, com 15, 16 anos, dormia abraçado com um controle de LCD", recorda Ivan, destacando que nesta ocasião trabalhou com seu primeiro e grande parceiro: Alfredo Cappucci.

A trajetória de Ivan na iluminação se deu na prática e dependeu de seu próprio esforço no aprendizado. Como começou muito jovem, ele abandonou os estudos na sexta série do ensino fundamental e usou sua disciplina para ser um autodidata na área, lendo e pesquisando sobre equipamentos. "A falta de formação é um dos pontos fracos do nosso mercado", afirma ele, que considera um erro ter abandonado a escola, tendo completado o ensino médio aos 27 anos.

Em 1996, Ivan foi assistente de iluminação, ao lado de Nelson Horas, na turnê do cantor Ney Matogrosso. "Com o Nelsinho, meu segundo mestre e parceiro, aprendi a arte de iluminar. Ele fazia mágica com uma simples troca de cena e uma afinação primorosa." No ano seguinte, ele foi operador do cantor Ricky Martin, com os iluminadores Idalgo e Wadi Rodrigues, e assumiu o design de luz e a operação do Só Pra Contrariar. Foram 12 anos de parceria com o grupo e com o cantor Alexandre Pires.

Ivan, que enfatiza a importância de seu pai na descoberta de seu talento através da própria empresa, tem como inspiração Paulo Lebrão. "Quando crescer, quero ser que nem ele", brinca. Outra pessoa importante em sua trajetória foi Césio Lima, que permitiu que ele, ainda jovem, operasse as moving lights de seus shows. Entre esses espetáculos, que considera os maiores de sua carreira, Ivan lembra com carinho do Voodoo Lounge, dos Rolling Stones. "Conheci o Mick Jagger e tive o prazer de operar uma mesa de luz sob o comando de Patrick Woodrofe", acresenta Ivan, que revela terem sido bastante importantes para a sua carreira seu trabalho com a dupla Sandy e Junior, pois foi depositada confiança em sua capacidade de criar, e com os sócios da HPL, Adalberto Silva e Andréa Nascimento.

Em 2012, Ivan assinou a iluminação do novo show da dupla Jorge & Mateus, com quem continuará, a partir de fevereiro de 2013, como lighting designer e operador. Ele conta que a parceria começou há dois anos, quando foi convidado pelos proprietários da Backlight para ser o lighting designer do evento Villa Mix, realizado em Goiânia. Em seguida, surgiram dois convites relevantes na carreira de Ivan, como diretor de fotografia dos DVDs da dupla Humberto e Ronaldo e do cantor Gusttavo Lima. Formado em cinema na Universidade Metodotista de São Paulo, o lighting designer pretende se aprofundar ainda mais na área, que considera ser sua segunda paixão.

_________________________________________________________________________ 
PINGUE-PONGUE

Formação: Bacharel em Cinema

Processo de criação: Manter-se fiel ao que o cliente precisa, agregar valor visual à matéria-prima do seu cliente, que, no caso de um show, é a música

Intuição ou pesquisa? Intuição em primeiro lugar, mas é um erro descartar uma boa pesquisa

Influências: Pulse e Phil Collins

Um iluminador: Lino, do Jota Quest

Console favorito: MA2 Lite

Projeto especial que tenha realizado: Projeto e direção de fotografia do DVD Cristiano Araújo

O melhor e o pior da profissão: O melhor é conhecer o mundo e o pior é ficar longe da família

Planos para o futuro: Conciliar meu tempo profissional entre iluminação e produção cinematográfica

Sonho de consumo profissional: A câmera de cinema Arri Alexa

Dica para quem começa: Ser observador, aprender o que for possível durante o processo e estudar
_________________________________________________________________________
Versão para impressão de
“ Edição #162:  Holofote” Envie este artigo
para um amigo
Luz & Cena © Copyright 2000 / 2022 - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
Est. Jacarepaguá, 7655 salas 704/705 - Rio de Janeiro - RJ CEP: 22753-900 - Telefone: 21 2436-1825