Luz & Cena
LOGIN e-mail
senha
esqueceu sua senha? Clique aqui para se
cadastrar na M&T As novidades da L&C em seu computador
gravar senha

Edição #108
julho de 2008
Índice da Edição 108
Editorial
Produtos
Destaque
em Foco
Holofote
Pergunte ao Oz
Galeria

Cadastre seu e-mail e
receba nossa Newsletter
As novidades da L&C em seu computador
editorial: Ciclos
por Elisa Menezes 09/07/2008
Se precisasse escolher um time, com certeza jogaria no dos céticos. No entanto, tenho que admitir que algumas coincidências acabam por pregar uma peça na gente. Na edição passada falei sobre um ciclo que terminava, o da série de reportagens sobre os teatros das capitais do Brasil. Nesta edição, inicia-se uma nova fase aqui na revista. Depois de quase cinco anos cuidando para que L&C não publicasse nenhuma barbaridade e ajudando a pensar em conteúdos mais interessantes para os leitores, o Tomás (Ribas) passa a bola para um novo editor técnico, o iluminador e professor do Iatec Francisco Rocha.

E onde estão as coincidências? Bem, o primeiro número editado pelo Tomás, em outubro de 2003, trazia em sua capa o musical Ópera do Malandro, assinado por Cláudio Botelho e Charles Moeller. Pois é também com uma capa de um outro musical da dupla, a superprodução A noviça rebelde, que nos despedimos do Tomás. É claro que não se trata de um adeus, mas sim de um até logo. Afinal, a revista está aberta para saber sobre seu trabalho e suas idéias.

Falando em ciclos, quem também passou por mudanças, melhor dizendo, renasceu, foi o Teatro Casa Grande, hoje, Oi Casa Grande, inaugurado em grande estilo pela noviça Maria e a família Von Trapp. Os detalhes do teatro e do espetáculo você confere aqui.

Renascimento lembra renovação, e quem entende muito bem disso é a cantora Maria Bethânia. A consagrada intérprete brasileira se uniu a outro medalhão da música, porém cubana, e o resultado foi um show com clássicos revisitados, no qual o cenário dá o tom. Gringo Cardia sabe muito bem como inovar usando um tecido simples, como o chitão.
 
Novidade e tradição estiveram presentes ainda na sétima Semana ABC, organizada pela Associação Brasileira de Cinematografia. Câmeras digitais e novas películas receberam igual atenção do público, numa prova de que é preciso estar atento à tecnologia, mas sem esquecer as bases do cinema jamais.

Ao Tomás, boa sorte em seus novos projetos, e ao Francisco, boas-vindas à nossa equipe.

E a você boa leitura!
Versão para impressão de
“ Edição #108:  editorial” Envie este artigo
para um amigo

 ARTIGOS RELACIONADOS - EDITORIAL
Música para ser vista (Edição #81 - 01/04/2006)
LEDs pra que vos quero (Edição #125 - 15/12/2009)
Gente que faz (Edição #138 - 12/01/2011)
Até logo (Edição #115 - 10/02/2009)
Fronteiras (Edição #86 - 01/09/2006)
Luz & Cena © Copyright 2000 / 2021 - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
Est. Jacarepaguá, 7655 salas 704/705 - Rio de Janeiro - RJ CEP: 22753-900 - Telefone: 21 2436-1825